PT vai retomar 'satanização' das privatizações

Governo e PT vão colocar nos candidatos do PSDB e do DEM a pecha 'neoliberais'

AE, Agencia Estado

24 de maio de 2009 | 08h06

A oposição teve na semana passada uma amostra do que vai ter de enfrentar na campanha eleitoral do ano que vem, na sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O governo e o PT vão ressuscitar o discurso da 'satanização' das privatizações e pespegar nos candidatos do PSDB e do DEM a pecha de 'neoliberais'. A estratégia foi adotada abertamente pelo ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, e pelos sindicatos e movimentos sociais a pretexto de combater a CPI da Petrobras e defender a estatal do petróleo.

Diante desse discurso de apelo político forte, de programas sociais que se espalharam por todas as regiões e de uma popularidade inédita do presidente (acima de 70%), que será o cabo eleitoral número um da eleição, a oposição começa a estudar as brechas por onde vai fazer campanha.

Uma das estratégias, diz o líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), é ?expor e denunciar o aparelhamento partidário das instituições, como nunca antes aconteceu neste País?. No caso específico da Petrobras, ele diz que o PSDB vai propor a estatização da empresa. ?O PSDB não vai privatizar a empresa, mas vai livrá-la dos interesses privados do PT, aliados, sindicatos e ONGs e devolvê-la à administração pública?, afirmou o senador.

A Comissão Parlamentar de Inquérito da Petrobras foi criada a partir de um requerimento do senador tucano Álvaro Dias (PR). Para o ministro Bernardo, a oposição quer ?desmoralizar a empresa? para privatizá-la no futuro. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
eleiçõesPTPSDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.