PT vai recorrer da decisão do Senado de poupar ACM

O líder do PT no Senado, Tião Viana (AC), vai recorrer em nome da bancada do partido da decisão da Mesa do Senado, que rejeitou o relatório do Conselho de Ética pedindo abertura de processo contra o senador Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA). Com essa decisão, na prática, a Mesa do Senado arquiva o caso dos grampos na Bahia, cuja suspeita recai sobre o senador baiano. Mas o PT tentará aprovar o recurso para que o plenário da Casa se posicione sobre o relatório do Conselho de Ética. "Se o recurso for aprovado, o Conselho de Ética estará liberado para abrir o processo de cassação do senador", afirmou o senador Paulo Paim (PT-RS), que acertou com Tião Viana a apresentação do recurso. Segundo Paulo Paim, a maioria dos senadores que compõem a Mesa entendeu que as denúncias contra ACM se reportam a um período que antecede seu atual mandato. Por isso, a Mesa decidiu encaminhar a denúncia-crime ao Supremo Tribunal Federal (STF). O presidente do Senado, José Sarney, e outros quatro senadores votaram a favor do envio do caso para o Supremo Tribunal Federal (STF). Internamente, os senadores optaram por uma medida branda de punião a ACM, ao recomendar a censura escrita, em vez da cassação do mandato.Veja o índice de notícias sobre o grampo na Bahia

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.