PT vai iniciar ofensiva contra PSDB em SP

O presidente-interino do Partido dos Trabalhadores, José Genoíno, disse que o PT vai iniciar uma ofensiva contra o PSDB em São Paulo. "Vamos bater duro no PSDB porque o que eles estão fazendo aqui é uma coisa sectária, doentia", disse. "Vamos mostrar que não temos medo da CPI do Lixo." A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Lixo, aprovada na Câmara na semana passada, será presidida pelo vereador petista Devanir Ribeiro e terá de investigar contratos firmados com empresas para coleta, varrição e serviços complementares de limpeza desde 1987, na gestão de Jânio Quadros, até a administração da prefeita Marta Suplicy (PT). A comissão, que deverá ser instalada na quarta-feira, terá ainda de investigar contratos e aditamentos de empresas que contribuíram financeiramente com a campanha que levou Marta Suplicy à Prefeitura. Os peesedebistas criticam o PT, acusando o partido da prefeita de não ser transparente, já que os petistas "não quiseram aprovar uma CPI independente". O líder do PSDB na Câmara, Gilberto Natalini, classificou a CPI do Lixo a ser instalada de "meia-sola". Para os vereadores da oposição, a CPI deveria ser presidida por um parlamentar que não fosse da base de apoio da prefeita. Genoíno acusou o PSDB de estar tentando "livrar a cara dos ex-prefeitos Celso Pitta (PTN) e Paulo Maluf (PPB)". A ofensiva contra o PSDB foi assunto de discussão hoje, na prefeitura paulistana, durante reunião de Genoíno com a prefeita Marta Suplicy, o presidente do Diretório Estadual da legenda, Paulo Frateschi, e o secretário de Governo, Rui Falcão.O presidente-interino do PT reiterou que o partido está preocupado com que os adversários da legenda na sucessão de 2002 utilizem a vida particular da prefeita Marta Suplicy para atacar o PT, assim como ocorreu nas eleições presidenciais de 1989, quando o presidente de honra do partido, Luiz Inácio Lula da Silva, foi derrotado por Fernando Collor de Mello. Na época, Lula foi acusado de não ter reconhecido uma de suas filhas, Luriam.Na semana passada, o jornal O Globo divulgou a notícia de que a prefeita de São Paulo vai se casar em 2002 com o colaborador do PT, o franco-argentino Luís Favre. Marta foi casada durante 36 anos com o senador petista Eduardo Suplicy (PT), pré-candidato do PT à Presidência. A separação foi anunciada em 16 de abril, em nota divulgada e assinada por ambos. Genoíno negou que Marta tenha comunicado ao PT a decisão de se casar com Favre, e disse que dentro do partido "assunto privado não é discutido". O presidente-interino da legenda negou ainda que o assunto seja proibido. "O PT não discute a vida privada nem mesmo de seus adversários."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.