Divulgação|PT
Divulgação|PT

PT vai aprovar nesta sexta resolução política que defende novas eleições diretas

Apesar de ser inicialmente contrária à ideia manifestada por Dilma em carta enviada ao Senado na semana passada, a Executiva Nacional do partido recuou diante da pressão de correntes internas de esquerda

Ricardo Galhardo e André Ítalo, O Estado de S.Paulo

02 de setembro de 2016 | 14h02

SÃO PAULO - A executiva nacional do PT vai aprovar, ainda nesta sexta-feira, 2, uma resolução política que defende a realização de novas eleições diretas para a Presidência da República, conforme defendia Dilma Rousseff em mensagem enviada ao Senado na semana passada.

A direção da sigla, que era contrária à ideia, recuou diante da pressão de correntes internas de esquerda, também favoráveis à medida, e do ex-presidente Lula.

Além disso, a resolução vai reforçar o discurso do "golpe" e da ilegitimidade do governo Michel Temer, bem como manifestar solidariedade a Lula, indiciado pela Polícia Federal por lavagem de dinheiro, corrupção passiva e falsidade ideológica, no âmbito da Operação Lava Jato.

A reunião da cúpula do partido ocorre desde a manhã desta sexta, em São Paulo, e conta com a presença do ex-presidente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.