PT vai ao TSE contra PSDB e Alckmin

O PT deu entrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a três representações contra o PSDB e seu candidato à Presidência da República, Geraldo Alckmin. O partido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva alega que os tucanos usaram o tempo da propaganda partidária para promover a imagem do então pré-candidato Alckmin, o que configuraria a prática de propaganda eleitoral fora do prazo e desvio de finalidade.O PT afirma ainda que a conduta do PSDB é reincidente. Tanto que o plenário do TSE suspendeu o tempo da propaganda a que o partido teria direito n ano que vem, em função de programas exibidos nos dias 21, 24 e 25 de abril.O partido pede ao TSE que aplique uma multa, além da suspensão da propaganda gratuita que os tucanos teriam direito no semestre que vem. Como o Judiciário está em recesso, a decisão será tomada pelo presidente do TSE, ministro Marco Aurélio Mello, antes de submetê-la ao plenário, em agosto.José SerraNo âmbito estadual, o PT também foi à Justiça contra os tucanos, acionando a o ex-prefeito José Serra e funcionários da Prefeitura de São Paulo. O diretório estadual petista acusa o candidato do PSDB de uso da máquina administrativa municipal. ?Serra estava fazendo de conta que era prefeito e isso é uso da máquina, que nem é dele, o que configura crime eleitoral, e na cidade mais importante do País?, disse o senador Aloizio Mercadante, candidato do PT ao governo.Em visita ao bairro Chácara Cocaia, no domingo, na capital, o ex-prefeito agiu como se não tivesse deixado o cargo há três meses. Ouviu reclamações e repassou pedidos de moradores, acompanhado pelo subprefeito do Campo Limpo, Valdir Ferreira. Diante dos moradores, Serra também procurou, por telefone, o secretário das Subprefeituras, Andrea Matarazzo, e pediu providências para os problemas de iluminação no bairro.?Vamos acionar o Ministério Público e a Justiça Eleitoral contra Serra e os funcionários da Prefeitura por uso da máquina em benefício da campanha do PSDB e improbidade administrativa?, explicou o secretário-geral do PT, vereador João Antônio.Hoje, em visita a São Carlos e Barretos, Aloizio Mercadante recomendou a Serra que tomasse calmantes para que seja capaz de debater os problemas do Estado. O petista se diz confiante de que estará no segundo turno.?O nervosismo dele(Serra) é por isso, por que ele vem caindo, especialmente em São Paulo (capital)e nós estamos subindo, por isso não adianta ficar nervoso. Ele tem que explicar o que o seu partido fez?, insistiu."Trololó"A coordenação da campanha de José Serra (PSDB), por meio da assessoria de imprensa, classificou como ?o trololó de sempre? a ação do PT contra as visitas feitas pelo ex-prefeito paulistano no fim de semana. O prefeito Gilberto Kassab (PFL) disse que não ficou incomodado com o comportamento do antecessor. ?Eu sentiria tristeza se ele estivesse distante?, afirmou Kassab, antes de saber da ação do PT. ?Fico contente que ele está presente na cidade, porque essa é a expectativa que eu tenho dele?. Segundo Kassab, no cargo há três meses, Serra tem carta branca para atuar como intermediário entre a população e o governo municipal. ?Ele conhece como poucos a cidade. Sabendo dos problemas, pode passá-los à Prefeitura, existe muita proximidade.? A Prefeitura informou que só se pronunciaria a respeito da ação do PT quando notificada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.