PT usa tribuna e comissões para acuar bancada governista na Assembleia

Deputados estaduais do PT decidiram se revezar no microfone da tribuna da Casa com discursos sobre o caso Siemens para constranger a base governista, que barra criação de CPI

Pedro Venceslau - O Estado de S. Paulo,

14 de agosto de 2013 | 18h17

Em minoria na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP), os deputados estaduais do PT decidiram se revezar no microfone da tribuna da Casa com discursos sobre o caso Siemens. A estratégia visa a obstruir a pauta do dia e constranger a base do governador Geraldo Alckmin (PSDB) a aprovar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar as denúncias sobre possível envolvimento de agentes públicos em licitações irregulares no Metrô e na CPTM. No entanto, com ampla maioria, o governo barra a criação da comissão.

A oposição conta com 26 das 32 assinaturas necessárias, mas não consegue avançar. Em outra frente, os petistas estão usando as comissões temáticas para driblar a resistência governista e aprovar convites para que membros do primeiro escalão do Palácio dos Bandeirantes e outros personagens envolvidos nas denúncias de formação de cartel para compra e reforma de trens do metrô sejam ouvidos.

Até agora, já foram convidados o secretário estadual de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, o presidente  do Cade, Vinicius Marques de Carvalho e o presidente da Siemens no Brasil, Paulo Stark.

"PEC DA IMPUNIDADE". A principal votação do dia é a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 01/2013. Considerada a versão estadual da PEC 37, ela restringe os poderes de investigação dos promotores no Estado.

Petistas acusam seguranças da Casa de impedir a entrada de manifestantes para assistir ao debate no plenário. O local está cheio porque, segundo o deputado do partido, vieram muitos convidados do deputado Campos Machado (PTB), autor da PEC 01/2013. Hove bate-boca e empurra-empurra entre parlamentares, seguranças e manifestantes.

“O PT encontrou uma forma de desgastar o governo”, reconhece o deputado estadual tucano Fernando Capez. “Nossa prioridade é o debate sobre o caso Siemens Estão querendo (votar a PEC) para desviar o foco”, rebate Luiz Claudio Marcolino, líder do PT na Casa.

PROTESTO. Do lado de fora da Assembleia, cerca de 50 manifestantes — a maioria da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e da Central de Movimentos Populares (CMP) — e fazem coro com o discurso dos deputados petistas no plenário da casa e pedem a instauração imediata de uma CPI para apurar o caso Siemens. Eles protestam também contra o governador Geraldo Alckmin e contra a PEC 01, que está na pauta da Casa.

Os discursos dos sindicalistas no carro de som defendem a vitória "de um governo popular" e a derrota do governador Geraldo Alckmin (PSDB), nas eleições de 2014, quando ele tentará a reeleição. O clima é de descontração apesar da presença da Tropa de Choque na entrada da Assembleia. A reportagem não encontrou nenhum integrante do MPL entre os sindicalistas.

Tudo o que sabemos sobre:
PTPSDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.