PT usa PAC para Dilma crescer em Minas

Partido mostrará na TV que Estado recebe ?maior investimento da história?

Ivana Moreira, O Estadao de S.Paulo

08 de maio de 2009 | 00h00

O uso político do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) já começou em Minas Gerais, Estado onde nasceu a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff. "O governo federal está fazendo o maior investimento da história do Brasil em Minas" é o mote das inserções em rádio e TV que o diretório estadual do Partido dos Trabalhadores veiculará neste mês. Dilma, nome mais forte do Planalto para a sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, é umas das estrelas da campanha e lembra aos mineiros que o valor previsto para Minas no PAC é de quase 10% do total reservado para o País. Considerando apenas os recursos que saem do Orçamento da União para o PAC, Minas Gerais já lidera o ranking dos Estados que tiveram maior volume de dotações autorizadas: R$ 3,6 bilhões entre 2007 e 31 de março deste ano. Para São Paulo, o valor autorizado no mesmo período soma R$ 2,9 bilhões.A revisão do programa, anunciada em fevereiro, quando a ministra apresentou o balanço dos dois primeiros anos, foi generosa com os mineiros. O Estado foi beneficiado com um acréscimo de R$ 11,7 bilhões em investimentos previstos. O valor até 2010 subiu de R$ 29,3 bilhões para R$ 41 bilhões, um aumento de 39,93%. Os investimentos em logística foram os que cresceram mais na planilha da Casa Civil. O valor previsto para empreendimentos em Minas Gerais pulou de R$ 5 bilhões para R$ 14,69 bilhões. O valor inclui os investimentos diretos, com recursos do Tesouro Nacional, das estatais, dos governos estaduais, das prefeituras e também da iniciativa privada. Apenas para os baianos a revisão do PAC foi mais vantajosa do que para os mineiros. Na Bahia, o valor previsto subiu de R$ 24,7 bilhões para R$ 37 bilhões. Os paulistas tiveram um acréscimo de apenas 0,4%, elevando o valor previsto de R$ 99 bilhões para R$ 99,4 bilhões. O ministério não esclareceu os critérios adotados na revisão do programa. O valor total dos investimentos incluídos no PAC, de 2007 a 2010, subiu de R$ 514,2 bilhões para R$ 579 bilhões - acréscimo de 12,6%. Recentemente, os cadernos estaduais - que mostram a revisão por Estado, discriminando todas as obras - tornaram-se disponíveis para acesso no site oficial do PAC. "É curiosa a diferença quando analisamos a revisão por Estados", comentou o economista Gil Castelo Branco, consultor do site Contas Abertas. A entidade, que atua na fiscalização das contas públicas, vem trabalhando na consolidação desses dados.ESTRATÉGIAConsolidar a imagem de candidata mineira é uma das estratégias dos petistas que trabalham da articulação da campanha à Presidência de Dilma. O que está em jogo é o segundo maior colégio eleitoral do país.A ministra nasceu em Belo Horizonte, mas mudou-se ainda muito jovem e acabou construindo no Rio Grande do Sul sua carreira na política.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.