Gabriela Bilo/Estadão
Gabriela Bilo/Estadão

PT usa comerciais para convocar manifesto contra 'ofensiva da direita'

Inserções de 30 segundos vão ao ar a partir desta terça-feira para promover atos marcados para a quinta-feira, 20

Erich Decat, O Estado de S. Paulo

17 de agosto de 2015 | 15h27

Brasília - Um dos principais alvos dos protestos deste último final semana, o PT utilizará inserções partidárias para promover a mobilização desta quinta-feira, 20, patrocinada por movimentos sociais e sindicatos ligados ao governo Dilma. Além do PT, as manifestações deste domingo, ocorridas em todos os Estados do País, também tiveram como foco a gestão da petista e o ex-presidente Lula. 

Os comerciais do PT, com duração de 30 segundos, estão programados para serem divulgados em cadeia nacional a partir desta terça-feira. A contraofensiva dos petistas ocorrerá dois dias antes do ato promovido por setores favoráveis ao governo Dilma. No material previsto para ser distribuído às rádios, a que o Estado teve acesso, não há citações à palavra impeachment, uma das bandeiras encampadas por líderes dos movimentos contra o governo, nesse domingo.

Em uma das inserções, um locutor defende, porém, a participação popular em defensa da democracia. "Chegou a hora de ir às ruas para defender os direitos trabalhistas, as conquistas sociais dos últimos anos e acima de tudo para defender a nossa democracia. Por isso, junte-se à mobilização nacional que nessa quinta-feira, dia 20, vai unir movimentos sociais, partidos políticos, centrais sindicais e todos aqueles que acreditam, que o Brasil é maior que qualquer crise. Participe e fortaleça a nossa democracia", diz o comercial. 

A convocação para o ato desta quinta-feira também conta com o apoio de partidos como PCdoB e Psol e representantes da UNE, CUT, MST, entre outros. "Estaremos nas ruas de todo o país neste 20 de agosto em defesa dos direitos sociais, da liberdade e da democracia, contra a ofensiva da direita e por saídas populares para a crise", diz texto de convocação produzido pela CUT. 

Em uma segunda inserção de rádio, o PT retoma a estratégia de fazer um "mea culpa" dizendo que qualquer partido "vive bons e maus momentos" e ressalta algumas das conquistas promovidas pela legenda. "Qualquer governo, qualquer partido vive bons e maus momentos, comete erros e acertos. É bom recordar os erros para que eles não aconteçam mais. Mas também é bom lembrar que juntos criamos um novo Brasil. Vencemos a fome e a miséria. Elevamos a renda de milhões. Fizemos mudanças esperadas há décadas. Um País que chegou onde chegamos, tem tudo para superar qualquer crise na economia, basta acreditar", diz o locutor.

Tudo o que sabemos sobre:
PTprotestosimpeachment

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.