PT tenta ter posição unitária sobre royalties, diz Maia

O presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), vai reunir a bancada do seu partido amanhã para discutir o tema da nova divisão dos royalties do petróleo. O encontro, pedido pelo líder do PT, Paulo Teixeira (SP), tem o objetivo de unificar a posição do partido sobre o tema. Na visão de Maia, a legenda precisa construir uma posição única, não se deixando levar pelas paixões regionais.

EDUARDO BRESCIANI, Agência Estado

16 de novembro de 2011 | 13h22

"A ideia é que o PT possa ter uma posição unitária, não com uma concepção tão regional, mas com uma visão de país", disse o presidente da Câmara.

O PT está preocupado com divisões profundas na bancada. Representantes de Estados produtores têm reclamado não haver uma posição do partido para tentar defendê-los, enquanto os deputados dos outros Estados cobram logo uma posição da legenda em favor da votação do projeto do senador Vital do Rego (PMDB-PB), que aumenta a participação de quem não produz no rateio das receitas.

A tendência é que o PT trabalhe por um caminho alternativo em que as perdas que seriam impostas a Rio de Janeiro e Espírito Santo sejam amenizadas. A presidente Dilma Rousseff entrou no debate e está analisando os números apresentados por Vital e os da Petrobras, onde há divergências sobre a expectativa de produção e, consequentemente, receitas.

O presidente da Câmara pretende criar nesta semana uma comissão especial para debater o tema na Casa. Ele admite, porém, que a votação em plenário deve ficar só para 2012. "Vamos tentar este ano, mas não vamos atropelar o calendário. Se não for possível, vai ficar para o ano que vem".

Tudo o que sabemos sobre:
petróleoroyaltiesMaiaPT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.