PT tenta barrar panfletos encomendados por bispo

O Partido dos Trabalhadores (PT) está tentando impedir agora à tarde que cerca de um milhão de panfletos encomendados pelo bispo da Diocese de Guarulhos (SP), Dom Luiz Gonzaga Bergonzini, seja distribuído à população. O panfletos recomendam aos brasileiros e brasileiras que deem seu voto "a candidato ou candidata e partidos contrários à descriminalização do aborto"

ANDRÉ MAGNABOSCO, Agência Estado

16 de outubro de 2010 | 17h14

O material, segundo a advogada Ana Fernanda Ayres, do escritório Bottini Tamasauskas Advogados, que assessora o PT, seria ilegal, uma vez que não apresenta o CNPJ do autor. "Queremos assegurar que não houve qualquer tipo de crime (em relação ao material)", afirmou.

A Editora e Gráfica Pana, responsável pela impressão do material, mostrou documentos que comprovam o pedido feito por Dom Luiz Gonzaga. Os proprietários alegam que, da parte deles, apenas cumpriram encomenda legal feita por um cliente.

Um primeiro lote de um milhão de panfletos já havia sido distribuído antes do primeiro turno das eleições, segundo Paulo Ogawa, pai de Alexandre Takeshi Ogawa, proprietário da gráfica.

De acordo com Paulo Ogawa, pai de Alexandre Takeshi Ogawa ainda há cerca de 1 milhão de unidades do panfleto na gráfica, que fica no bairro do Cambuci, em São Paulo. O caso está sendo registrado neste momento no 5o. Distrito Policial.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2010PTabortobispo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.