PT tende a lançar candidato próprio na Câmara

A uma semana da eleição para a presidência da Câmara, o PT estava decidido nesta teerça-feira a lançar um candidato de oposição à presidência da Casa. A tendência majoritária no partido era seguir a mesma postura dos senadores de oposição que, na semana passada, lançaram o senador Jefferson Peres (PDT-AM) à presidência do Senado contra o candidato do PMDB, senador Jader Barbalho (PA). A candidatura própria de oposição na Câmara deverá acabar beneficiando o candidato e líder do PSDB, deputado Aécio Neves (MG), porque, desta forma, os votos dos oposicionistas não irão para o principal adversário do tucano: o líder do PFL, deputado Inocêncio Oliveira (PE). "Provavelmente teremos candidato próprio", afirmou o líder do PT, deputado Aloizio Mercadante (SP). Elas por elas Os petistas da Câmara garantem a revisão da candidatura própria caso o PFL venha a apoiar a candidatura de Jefferson Peres no Senado. Esta é a única chance de a candidatura de oposição no Senado vingar. E, em troca do apoio, os partidos de oposição na Câmara estariam dispostos a abrir mão da candidatura própria e votar em Inocêncio Oliveira para presidente da Câmara (PE). "Espero que a minha candidatura não seja encarada apenas como um gesto simbólico de protesto, mas como o lançamento de um real competidor", disse Peres, ao lançar nesta terça-feira oficialmente sua candidatura no plenário do Senado. Elogios, muitos; votos, nenhum Mas a reciprocidade entre oposição e PFL dificilmente ocorrerá, apesar de nesta terça-feira Peres ter recebido o apoio explícito de um senador pefelista: Bernardo Cabral (PFL-AM). "Vou pedir ao meu partido que me libere porque não posso votar contra quem, como eu, representa o meu estado", justificou Cabral. "E vocês acreditam que ele (Cabral) vai mesmo votar no Jefferson Peres?", ironizou o presidente do Senado, Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA). Dois peemedebistas elogiaram a candidatura de Peres, mas não garantiram voto ao pedetista. Para o senador Pedro Simon (PMDB-RS), que foi favorável à escolha de Jader, a candidatura Peres "aglutina forças". Simon deixou claro, no entanto, que votará no peemedebista. O senador Roberto Requião (PR), que é contrário à candidatura de Jader, também festejou a candidatura do oposicionista. Oficialmente, o PFL adiou para a véspera da eleição no Senado a decisão sobre o apoio ou não ao candidato de oposição. Mas o partido deverá lançar um candidato próprio. Na Câmara, o líder Inocêncio Oliveira chegou a telefonar para os dirigentes do PT, reivindicando que o partido adotasse a mesma posição do PFL e só se definisse pela candidatura própria ou não na semana que vem. "Vamos decidir isso hoje de qualquer jeito", afirmou Mercadante. A bancada do PT estava reunida no início da noite desta terça-feira para decidir sobre o lançamento de candidatura própria. Até as 19h, apenas quatro deputados haviam se pronunciado. Três deles - José Genoíno (SP), Padre Roque (RS), Henrique Fontana (RS) - defenderam candidatura própria. Já o deputado Jacques Wagner (BA) mostrou-se favorável ao apoio à candidatura do tucano Aécio Neves.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.