PT "tende a adotar o totalitarismo", diz tucano

O líder do governo no Congresso, deputado Arthur Virgílio (PSDB-AM), divulgou nota em que reafirma acusações feitas pelo presidente Fernando Henrique Cardoso em entrevista à colunista Tereza Cruvinel, do jornal O Globo, publicada hoje. Ressalvando que o presidente não quer intimidar o PT, Virgílio reafirma que aquele partido não aceita críticas enquanto não está no poder que, "chegando a ele, tenderá a sufocar as liberdades, a adotar o totalitarismo como regra". O líder afirma ainda que, "indo como vai, o PT assumirá um fascismo travestido de esquerda, virará uma UDN sem talento, lastreado no golpismo e no moralismo insincero". Conclui, após fazer críticas ao governo da prefeita de São Paulo, Marta Suplicy, dizendo que o presidente "não teme o cotejo de sua vida com a de Lula (o presidente de honra do PT, Luiz Inácio Lula da Silva). Jamais o desrespeitou, mas não o teme. Quem duvidar, que pague para ver". E acrescenta: "Venham, lutem, tirem a máscara, e que o povo nos julgue a todos em nome da história". A nota é uma tréplica a uma nota divulgada hoje à tarde pelas lideranças do PT no Congresso, em que afirmam que Fernando Henrique, na entrevista a O Globo, "enverga seu traje de vítima".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.