Divulgação
Divulgação

PT sugere que deputada devolva medalhas dadas a familiares

Parlamentar que distribuiu 10 medalhas aos seus familiares saiu do encontro da sigla sem comentar se acataria pedido

GABRIELA LARA, CORRESPONDENTE, O Estado de S. Paulo

26 de janeiro de 2015 | 18h26


Porto Alegre - Após uma reunião de cinco horas, a executiva do PT gaúcho sugeriu que a deputada estadual Marisa Formolo (PT) devolva as 10 medalhas que ela distribuiu a familiares na semana passada.

A parlamentar petista participou do encontro desta segunda-feira, 26, em Porto Alegre com a direção do partido, mas deixou o local sem revelar se irá acatar a recomendação e pedir para retirar as honrarias da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul que foram entregues aos seus parentes.

Depois de ficar oito anos no cargo, Marisa Formolo resolveu homenagear a família antes do fim do mandato - ela não conseguiu se reeleger na eleição de outubro do ano passado.

Em solenidade na última quarta-feira na Assembleia Legislativa, ela condecorou o marido, três filhos e cinco irmãos com a Medalha da Legislatura. Além disso, deu para o irmão mais velho, Armando, a maior honraria do parlamento gaúcho: a Medalha do Mérito Farroupilha.

Na ocasião, a deputada explicou que seu gesto era uma forma de agradecer aos parentes pelo apoio que recebeu durante o mandato, e ressaltou que se sentia tranquila porque não estava fazendo nada ilegal. Diante da repercussão negativa do caso, a executiva estadual do PT resolveu se posicionar, orientando que a parlamentar voltasse atrás na decisão.

"Por reconhecermos que a deputada Marisa Formolo teve, em seus oito anos de mandato, relevantes serviços na construção do PT e em defesa da classe trabalhadora e do povo gaúcho, e que este episódio isolado não deve macular sua trajetória política, sugerimos que a parlamentar avalie a devolução das medalhas concedidas", diz a nota divulgada pela executiva estadual do partido após a reunião desta segunda.

A direção do PT gaúcho aproveitou para orientar seus deputados na Assembleia Legislativa do RS a abrirem o debate "sobre a elaboração de critérios para concessão de homenagens e honrarias" na Casa. No caso petista, a determinação do partido, a partir de agora, é para que tais condecorações passem pela aprovação de toda a bancada.

Segundo o presidente estadual do PT, Ary Vanazzi, é preciso levar em conta o princípio da "impessoalidade na política". Ele contou também que, depois de participar da reunião com a executiva do partido, Marisa Formolo iria conversar com a família para decidir sobre a eventual devolução das medalhas.

Tudo o que sabemos sobre:
PTassembleiaRSMarisa Formolo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.