PT-SP protocola representação contra Coronel Telhada

PT-SP protocola representação contra Coronel Telhada

Dirigentes estaduais do partido exigem medidas judiciais contra o tucano após ele ter feito declarações separatistas

Ricardo Chapola, O Estado de S. Paulo

30 Outubro 2014 | 18h36

Dirigentes do PT de São Paulo protocolaram nesta quinta-feira, 30, uma representação no Ministério Público contra o vereador Coronel Telhada (PSDB) na qual exigem medidas judiciais contra o tucano pelas declarações feitas por ele pouco depois da vitória da presidente Dilma Rousseff, no domingo passado. Em sua página pessoal do Facebook, Telhada disse que "chegou a hora de São Paulo se separar do resto" do País. Segundo o texto encaminhado ao MP, Telhada é acusado por quebra de decoro e preconceito.

"Mais quatro anos de corrupção e de desgoverno para o Brasil. Parabéns aos que votaram em Branco e Nulos, vocês condenaram o Brasil com a sua omissão e covardia. Não adianta reclamar daqui para frente. Que o Brasil engula esse sapo atravessado. Acho que chegou a hora de São Paulo se separar do resto desse país. Triste, estou muito triste.Que vergonha", escreveu o vereador.

A representação de seis páginas está fundamentada em 19 tópicos e é assinada pelo líder da bancada do PT na Câmara, vereador Alfredinho, e pelo presidente municipal do PT, Paulo Fiorillo. "O vereador Telhada incorreu em infração ética parlamentar ao 'desrespeitar os princípios fundamentais do estado democrático", diz o texto, em seu item 11.

"Infere-se das razões constantes por ele veiculadas nas redes sociais, motivações que podem ser consideradas discriminatórias e preconceituosas, cominadas como crimes nas diversas legislações aplicáveis ao caso".

O pedido foi levado ao procurador-geral pelo líder da Bancada de do PT na Câmara, vereador Alfredinho. "A declaração separatista dele atrapalha. Não podemos permitir esse tipo de ação. Temos que combater esse tipo de preconceito. Tem que ter respeito aos nordestinos, que construíram São Paulo", disse Alfredinho.

A assessoria de imprensa de Telhada informou que o tucano não vai se pronunciar até ser notificado.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.