PT rejeita primária das oposições para candidato à presidência

A proposta de realização de uma primária, para escolher um candidato das oposições à sucessão do presidente Fernando Henrique Cardoso foi rejeitada neste sábado pelo Diretório Nacional do PT. A posição foi tirada de uma reunião do diretório, que termina domingo, em São Paulo. Embora a decisão ainda precise ser ratificada em votação, as opiniões contrárias à proposta foram quase unânimes. O único que defendeu a medida foi seu criador, o senador Eduardo Suplicy (PT-SP). A idéia consistia na escolha de um candidato de consenso entre os partidos oposicionistas, escolhido pelo voto de seus filiados e simpatizantes.Para o prefeito de Porto Alegre, Tarso Genro, a primária é inviável, pois existe uma grande divisão entre as legendas da oposição. "Prévia sim, primária não", destacou. O deputado José Genoíno (PT-SP), ressaltou que, na estrutura política brasileira, o caminho "é o fortalecimento dos partidos, não das frentes". O presidente do PT, deputado José Dirceu, declarou: "Não adianta ter a ilusão de que a oposição terá unidade, nem o governo tem", disse. "Um partido forte como o PT não pode abrir mão de candidatura própria", disse o presidente de honra do PT, Luiz Inácio Lula da Silva. Apesar de acreditar que sua idéia seja mais democrática, Suplicy disse que respeita a decisão.A discussão sobre a candidatura petista deve ficar para o ano que vem. "A prioridade agora é fortalecer nossas administrações e a discussão de uma agenda alternativa para o Brasil", defendeu Genoíno. A mesma posição foi adotada por Dirceu.A senadora Heloísa Helena (PT-AL), entretanto, continua defendendo uma prévia este ano. "Creio que a prévia deveria ser realizada ainda no 1º semestre", e voltou a falar no nome de Lula para o posto.A cúpula petista também fechou posição em torno de uma CPI para investigar as denúncias detonadas pela briga entre os senadores Jader Barbalho (PMDB-PA) e Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA). "O texto básico aprovado hoje destaca a luta pela CPI já", disse Genoíno. "Vamos percorrer o país e mostrar que já pedimos 11 CPIs e que todas foram abafadas, com a ajuda de ACM" disse Dirceu.Sobre a recusa dos líderes governistas em aceitarem a comissão, Dirceu disse que é, no mínimo, "irresponsabilidade de quem foi eleito para fiscalizar o executivo". A opinião entre os caciques do PT é: "quem não deve não teme."Tarso disse que, durante a crise na base do governo, a imagem do PT não ficou bem definida. "Não conseguimos definir nossa autonomia em torno das figuras de Jader e ACM."Lula reconhece que foi um equívoco pregar a cassação de ACM num primeiro momento, quando ele supostamente revelou a procuradores da República que sabia de quem eram os votos na sessão de cassação do ex-senador Luiz Estevão. "O PT não mudou de posição, mas deveríamos ter entrado com um pedido de investigação sobre o painel eletrônico (do Senado) e, constatada a irregularidade , então pedir a cassação. Mas isto não impede que sejam apuradas as outras denúncias."A prefeita de São Paulo, Marta Suplicy também esteve no encontro, mas limitou-se a voltar a defender mudanças na Lei de Responsabilidade Fiscal.Outro que esteve presente foi o governador do Mato Grosso do Sul, Zeca do PT. Ele disse que foi dar informes sobre sua gestão e afirmou que a questão da comissão partidária formada para acompanhar os ajustes administrativos no Estado "está superada."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.