PT reduz exposição de Dilma e evita confronto com rivais

Embalada pelos resultados das últimas pesquisas de intenção de voto, a pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, pretende controlar mais sua exposição na mídia e evitar o confronto direto com os adversários, principalmente com o tucano José Serra.

AE, Agência Estado

10 de junho de 2010 | 10h05

Depois da convenção do PT, que vai oficializar Dilma como candidata do partido à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a ordem no comando da campanha é poupar a petista ao máximo de participar de debates e ter uma agenda que a exponha a perguntas indiscretas.

A estratégia é tentar impedir a todo custo que qualquer marola recaia sobre a campanha de Dilma, especialmente depois do escândalo do suposto dossiê que teria sido encomendado pelo comitê petista contra Serra.

A ideia é levar Dilma apenas a lugares "confortáveis", onde ela não precise polemizar nem se expor. A blindagem em torno da petista tem se tornado mais evidente nos últimos dias. Foi assim ontem, quando Dilma recebeu o programa do PMDB para seu eventual governo: apenas fotógrafos e cinegrafistas puderam chegar perto da candidata.

"Enquanto for pré-campanha ela não vai participar de debates", confirmou ontem o presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra. Segundo ele, a estratégia não é nova. "É a mesma de quando ela estava lá atrás nas pesquisas. A função neste momento não é debater. A Dilma é muito menos conhecida que o Serra. O nosso foco era torná-la mais conhecida." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçãoDilmaPTexposiçãoconfronto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.