PT recorre à Justiça para instalar CPI da Nossa Caixa

A bancada do PT na Assembléia Legislativa está recorrendo à Justiça na tentativa de instalar uma CPI para apurar as irregularidades envolvendo o banco estatal Nossa Caixa. Após as tentativas frustradas de implantar a comissão nos últimos dias, o PT decidiu encaminhar ao Tribunal de Justiça de São Paulo um pedido de mandado de segurança para reverter a situação."Estamos aproveitando que este é o último dia do governador Geraldo Alckmin no cargo para cobrar essa medida", disse o líder do PT na Assembléia, deputado Enio Tatto, em referência ao fato de o governador se desincompatibilizar do cargo nesta sexta-feira para disputar a presidência da República. De acordo com o deputado, a intenção é seguir um procedimento semelhante ao que deu origem à CPI dos Bingos, criada por meio de medidas judiciais requeridas pelo PSDB e pelo PFL.Nossa CaixaAlém do pedido encaminhado ao Tribunal de Justiça, o PT também protocolou uma representação no Ministério Público contra o governador tucano, seu ex-assessor especial de Comunicação, Roger Ferreira, e o presidente da Nossa Caixa, Carlos Eduardo Monteiro. Os três são apontados pelo PT como responsáveis pelas irregularidades observadas na gestão de recursos publicitários do banco estatal, que teriam por objetivo favorecer veículos ligados a aliados do governador.Tatto disse ainda que ocorre na Assembléia Legislativa um ato para protestar pela não instalação de CPIs durante o governo Alckmin. De acordo com ele, estão expostas no plenário 69 faixas com o tema de cada uma das CPIs propostas. "Estamos denunciando esta falta de ética e essa falta de transparência", disse o deputado. Outro objetivo do PT com a manifestação é pressionar o presidente da Assembléia, deputado Rodrigo Garcia, a colocar em votação um projeto para regulamentar a instalação de CPIs.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.