PT recebeu R$ 1,2 mi em doações legais de construtora

Partido perde apenas para o DEM, que recebeu R$ 3,15 mi, dos quais R$ 3 mi para o comitê de Kassab

AE, Agencia Estado

31 de março de 2009 | 09h10

Oficialmente o PT recebeu de empresas do grupo Camargo Corrêa cerca de R$ 1,23 milhão na campanha municipal de 2008. O dinheiro foi distribuído pela própria empreiteira e por duas outras empresas ligadas ao grupo, a Cavo Serviços e Meio Ambiente e a Essencis Soluções Ambientais. O partido perde apenas para o DEM, que recebeu R$ 3,15 milhões, dos quais R$ 3 milhões exclusivamente para o comitê da campanha vitoriosa do prefeito Gilberto Kassab.

 

Veja também:

especialEntenda a operação que atingiu a Camargo Corrêa

Existem até outras doações legais feitas pelo grupo Camargo Corrêa, além das que aparecem como contribuições de campanha registradas em 2008 para candidaturas e para comitês financeiros. Isso porque a empresa também pode repassar seus recursos diretamente para os comandos dos partidos e esses podem transferi-los conforme seu interesse. Mas os partidos precisam declarar posteriormente de quem receberam essas doações.

O DEM já declarou que nesse sistema recebeu outros R$ 2,6 milhões da Camargo Corrêa. Outros partidos ainda não anunciaram publicamente quanto ganharam da empreiteira dentro desse sistema. Entre as doações registradas legalmente para o PT, a candidata à Prefeitura de Curitiba, Gleisi Hoffman, foi quem mais recebeu diretamente da Camargo Corrêa: R$ 500 mil. Eleito prefeito no Recife, João da Costa (PT) teve doação de R$ 200 mil. Nos recursos repassados pela Cavo, o ex-ministro Luiz Marinho, eleito em São Bernardo do Campo, obteve R$ 20 mil.

Tudo o que sabemos sobre:
PFOperação Castelo de AreiaPT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.