PT quer suspender programa do PSDB e tornar Alckmin inelegível

O PT entrou com representação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para suspender o programa nacional em bloco, os programas estaduais em bloco e as inserções nacionais do PSDB e declarar a inelegibilidade do pré-candidato do partido à Presidência da República, Geraldo Alckmin.Segundo informações do site do TSE, o PT alega que o PSDB utiliza o "tempo integral de sua propaganda partidária no rádio e na televisão para, exclusivamente, divulgar seu candidato às eleições presidenciais, sr. Geraldo Alckmin". As inserções nacionais têm veiculação prevista para os dias 8, 13, 20, 27 e 29 de junho; a data de transmissão do programa em bloco do PSDB é o dia 22 de junho; e o próximo programa estadual em bloco do partido está marcado para o dia 29 de maio. Na ação protocolada no TSE, o PT pede a imediata suspensão da propaganda do PSDB, "para que não mais seja transmitida em nível nacional e nos estados, através do rádio e da televisão"; que seja vedada a participação de Geraldo Alckmin na propaganda do partido, "já que a veiculação de sua imagem no programa partidário do PSDB visa ao próximo pleito presidencial, de nada servindo, pois, a suspensão do programa após sua veiculação"; a aplicação da pena prevista no parágrafo segundo do artigo 45 da Lei dos Partidos Políticos (Lei 9.096/95) e a abertura de investigação judicial.O PT também pede que Geraldo Alckmin seja considerado inelegível, conforme o inciso 14 do artigo 22 da Lei de Inelegibilidade (Lei Complementar 64/90).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.