PT quer suspender privatização elétrica

O PT divulgou, nesta quinta-feira, documento com 23 propostas para solucionar a crise de energia elétrica. Uma delas prevêa suspensão de todo o processo de privatização do setor elétrico.O pré-candidato do partido à presidência e presidente de honrado PT, Luiz Inácio Lula da Silva, chegou a propor que, qualquer que seja o candidato de oposição que ganhe as eleiçõespresidenciais em 2002, ele deve comprometer-se a não privatizar Furnas Centrais Elétricas."E, se este governo privatizar Furnas, opartido de oposição que assumir a presidência da República deve comprometer-se a desprivatizar Furnas", afirmou.Lula aproveitou aentrevista para responder às críticas feitas nesta quinta-feira ao PT pelo ministro da Fazenda, Pedro Malan, em exposição aos membros daComissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado.Lula afirmou que o PT jamais aceitou o acordo, segundo ele "secreto esigiloso", do governo com o Fundo Monetário Internacional, e propõe a rediscussão desse acordo com os credores internacionais."Mas, primeiro, precisamos ganhar as eleições para poder renegociar esse acordo", reconheceu. O presidente de honra do PTrespondeu, também, à crítica de Malan de que o PT está se apropriando da bandeira da ética e do posicionamenteo contra acorrupção."Abrimos mão desse privilégio para que ele possa ser ético também", ironizou Lula. "Ele pode fazer parte do clubedos éticos."O presidente nacional do PT, José Dirceu, assim como Lula, responsabilizaram a política econômica do governo pelacrise energética e previram que o governo terá que pedir, em breve, mais dinheiro ao FMI para fechar suas contas externas.Elesafirmam que Malan fica acusando o PT de querer dar o calote, mas o País, independentemente de quem ganhar a eleição, teráque pedir dinheiro emprestado para evitar calote.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.