PT quer impedir carro alegórico com Serra e Alckmin

A bancada do PT na Câmara Municipal de São Paulo vai entrar com uma ação popular no Tribunal de Justiça, na tentativa de impedir a escola de samba Leandro de Itaquera de incluir em seu desfile um carro alegórico em que são homenageados o prefeito de São Paulo, José Serra, e o governador do Estado, Geraldo Alckmin, ambos do PSDB. De acordo com os vereadores petistas, o carro representa uma tentativa de aproveitar o Carnaval de São Paulo para fazer propaganda eleitoral para os dois tucanos antes do início do prazo previsto por lei.O carro em homenagem aos dois pré-candidatos do PSDB à presidência da República está previsto para encerrar o desfile da escola e trata do tema da limpeza do Rio Tietê. As alegorias incluem duas esculturas de 14 metros de altura, retratando Alckmin e Serra. "Isso é utilização de dinheiro público para campanha e promoção pessoal", afirmou o líder da bancada do PT na Câmara Municipal, vereador Arselino Tatto. Segundo ele, a escola de samba e seu presidente Leandro Alves Martins estariam aproveitando o dinheiro que é repassado pela Prefeitura às escolas de samba para fazer uma promoção política dos dois tucanos. Martins é filiado ao PSDB e disputou um mandato de vereador pelo partido em 2004.O líder do PT esclareceu que será dada entrada, nesta quinta-feira, na ação popular para conseguir uma liminar que impeça a entrada do carro alegórico na avenida. A bancada também já protocolou um requerimento na Câmara Municipal pedindo à prefeitura que divulgue o valor repassado à Leandro para que a escola participe do Carnaval paulistano. Tatto disse ainda que a bancada pretende entrar ainda com uma representação contra Serra na Procuradoria Geral Eleitoral, por infração da leis eleitorais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.