PT quer evitar terrorismo de adversários, diz Genoíno

Um dos objetivos do novo discurso do PT seria "evitar o terrorismo dos adversários", naspalavras do deputado federal José Genoíno (PT-SP). O projeto propõe mudanças na política econômica brasileira, mas com "cautela", sem defender uma "ruptura" com o atual modelo. O deputado e outras lideranças do partido reuniram-se hoje, em SãoPaulo, para gravar cenas de programa político que será exibido na TV.O esboço de projeto econômico desenvolvido por 14economistas ligados ao partido, sob coordenação do Instituto da Cidadania, ONG dirigida pelo presidente de honra da legenda, Luiz Inácio Lula da Silva, rejeita antigas teses como o "calote" da dívida externa, não fala em rever privatizações e defende a manutenção de "metas de inflação", um dos principais pontos da política econômica do governo Fernando Henrique."É necessário mudar, mas sem grandes choques", destaca Genoíno, para quem o foco do modelo econômico deve ser a "inclusão social." O deputado ressalva, entretanto, que o projeto ainda não é um "documento do partido" e que deve ser bastante discutido. "Ainda temos muito tempo."Um dos autores da proposta, o deputado federal Aloízio Mercadante (PT-SP), partilha posição semelhante. Ele afirma que o documento é uma "versão preliminar" de um programa econômicoe que seu objetivo é "estimular o debate." O documento será discutido amanhã (18), em SãoPaulo, com 20 economistas não ligados ao PT, como Luciano Coutinho, da Unicamp, Luiz Gonzaga Belluzzo , Antoninho Marmo Trevisan, da Trevisan e Associados, e o sociólogo Francisco deOliveira, ex-presidente do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap), entidade que tem o presidente Fernando Henrique Cardoso entre os seus fundadores.O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) não acredita queseu partido tenha amenizado o discurso. Ele garante que o PT continua propondo "mudanças fundamentais" e "uma radical mudança de prioridades" em relação ao atual governo,privilegiando a solução dos problemas sociais. Entretanto, Suplicy admite que o PT "amadureceu em seus 21 anos" e que "passou a conhecer mais o Brasil." Gravação - Hoje os principais cardeais da legenda reuniram-se no Hotel Meliá, em São Paulo, para gravar o programa nacional que vai ao ar na quinta-feira. Além de Lula, Mercadante Suplicy e Genoíno, também estiveram presentes a senadora Marina Silva (PT-AC), o presidente nacional do partido, deputado José Dirceu (SP) e a prefeita da capital paulista, Marta Suplicy. "É um programa leve e com muitas propostas", revela o deputado Genoíno. O programa também será comemorativo dos 21 anos do PT. Segundo Genoíno ele vai mostrar "cenas marcantes" da história do partido. Mercadante, que foi participar com uma breve fala sobre economia, resumiu em uma frase o espírito da proposta econômica do partido: "O social tem de ser o novo eixo do desenvolvimento econômico-social do Brasil".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.