PT quer anular instalação de comissão do mínimo

A líder do PT no Senado, Ideli Salvatti (SC), afirmou que ela e o líder do PT na Câmara, deputado Arlindo Chinaglia (SP), vão apresentar um requerimento para que seja anulada a instalação da comissão mista destinada a examinar a medida provisória (MP) que fixou o salário mínimo em R$ 260,00. Pela Constituição, as MPs têm que ser analisadas primeiro por uma comissão mista, antes de serem submetidas ao plenário. Na prática, porém, essa comissão nunca se reúne, e as MPs acabam sendo submetidas diretamente ao plenário. Por isso, admitiu Ideli Salvatti, os governistas ficaram surpresos quando a oposição deu início aos trabalhos da comissão com o tucano Tasso Jereissatti (CE) na presidência e o pefelista Rodrigo Maia (RJ) na relatoria e com o apoio de oito parlamentares aliados ao governo. Dos 25 integrantes da comissão, os oposicionistas conseguiram assinaturas de 18 titulares e suplentes para abrir os trabalhos. A própria Ideli Salvatti, na expectativa de que a MP iria direto para o plenário, havia indicado o senador Paulo Paim (PT-RS) para ser o vice-presidente da comissão. Ela contou que, antes da instalação, Paim lhe telefonara afirmando que não poderia ficar de fora de uma comissão encarregada de debater o salário mínimo (que é a bandeira eleitoral dele). Ideli disse que fez então um requerimento substituindo o senador João Capiberibe (PSB) pelo senador Paim.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.