PT propôs rodízio na presidência da Câmara para apoiar Cunha

De acordo com Darcísio Perondi, vice-líder do PMDB na Câmara, 'isso demonstra uma certa anemia do outro lado'

André Borges, O Estado de S. Paulo

31 de janeiro de 2015 | 10h35

BRASÍLIA - O PT chegou a propor apoio à candidatura do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para a presidência da Câmara. Em troca, Cunha e sua base teriam de se comprometer em apoiar um candidato petista à presidência da Câmara, daqui a dois anos. 


A posposta, segundo o vice-líder do PMDB na Câmara, Darcísio Perondi, foi feita nessa sexta, por volta das 18 horas, pelo deputado Ricardo Barros (PP). De acordo com Perondi, Barros foi até a sala da liderança do partido da Câmara e ofereceu o rodízio. Eles teria sido orientado, segundo Perondi, pelo deputado federal Pepe Vargas (PT-RS) e pelo ministro da Defesa, Jaques Wagner.


"A ideia era que o Arlindo Chinaglia (PT-SP) retirava a sua candidatura e apoiava Eduardo. O acerto era para que, daqui a dois anos, nós apoiaríamos o candidato do PT para a presidência da Câmara", disse Perondi, após participar de um café da manhã em Brasília, para apoio à candidatura de Eduardo Cunha. "O Ricardo Barros foi lá. E nossa resposta foi não. E foi categórica. Isso só demonstra uma certa anemia do outro lado", disse Darcísio Perondi.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.