PT propõe unificação das polícias

A credibilidade e eficácia dos quase 600 mil funcionários de segurança existentes no País foram discutidas hoje, durante o seminário Instituições Policiais, coordenada pelo Instituto Cidadania, de São Paulo, ligado ao PT. O evento acontece em Recife e teve como objetivo concluir mais uma etapa do projeto nacional de segurança pública, que será apresentado pelo partido ao governo federal e a sociedade, no final deste ano.Participaram do encontro o conselheiro consultivo do Instituto da Cidadania, e presidente de honra do PT, Luiz Inácio Lula da Silva; o coordenador executivo do projeto Segurança Pública, Antonio Carlos Biscaia; o vice-prefeito de São Paulo, Hélio Bicudo, além de pesquisadores, promotores de Justiça e secretários de governo.Entre as soluções consideradas prioritárias para a formação de um novo modelo de segurança, estão a unificação das policias, a revisão do sistema hierárquico da Polícia Militar e o fim dos tribunais militares que alimenta o corporativismo.De acordo com Hélio Bicudo, um estudo realizado pela Arquidiocese de São Paulo mostrou que "95% dos julgamentos militares, realizados em São Paulo num período de 10 anos, acabaram em impunidade". Ainda segundo Bicudo, essa prática corporativista da polícia pode ser extinta a partir do momento em que os militares forem julgados pela justiça comum.O pesquisador de Segurança Pública do Instituto Fernan Braudel, do Distrito Federal, José Vicente, criticou o excesso da hierarquia militar, onde soldados e oficiais não entram pela mesma porta nos quartéis e são tratados de maneira diferenciada.No próximo mês, o Instituto Cidadania estará no Rio de Janeiro discutindo o Crime Organizado e os Poderes do Estado, Tráfico de Drogas e de Armas. Nesse mesmo período, será apresentada uma versão preliminar do projeto de segurança nacional para que a sociedade revise e apresente novas sugestões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.