Dida Sampaio|Estadão
Dida Sampaio|Estadão

PT prepara obstrução para barrar votação de Programa de Parceria de Investimentos (PPI)

'Objetivo é impor uma derrota ao governo Temer', disse o senador Lindbergh Farias (PT-RJ)

Isabela Bonfim, O Estado de S.Paulo

06 de setembro de 2016 | 18h08

BRASÍLIA - O líder da oposição no Senado, Lindbergh Farias (PT-RJ), afirmou que a bancada está preparada para entrar em obstrução na próxima quinta-feira, 8, quando está agendada a votação de duas medidas provisórias enviadas pelo governo Temer, reforma administrativa e Programa de Parceria de Investimentos (PPI). 

"Quinta-feira, vamos obstruir. Não vamos nem marcar presença. O objetivo é fazer os projetos caírem e impor uma derrota ao governo Temer", disse. As duas MPs têm prazo de validade nessa quinta e caso não sejam votadas, o governo terá de enviar novo texto ao Congresso.

O senador alega que o PPI é uma medida grave, que "abre a porteira para a privatização". Ele também argumenta que o projeto simplifica questões de licenciamento ambiental e também sofre resistência entre grupos de preservação da natureza. 

Aumento STF. Também estão na pauta da próxima quinta-feira no Senado dois requerimentos que pedem urgência na votação do aumento salaria para os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e para o procurador-geral da República. Nesse aspecto, não há consenso na bancada do PT.

Enquanto Lindbergh se diz contra o aumento, o senador Humberto Costa (PT-PE), líder do PT, se posicionou favorável. A questão não foi fechada na bancada e os parlamentares devem votar como acharem conveniente. A matéria conta com forte resistência dentro da própria base do governo Temer. O PSDB se posicionou claramente contra os projetos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.