PT prepara modelo transição para 2002

O líder do PT na Câmara, deputado Walter Pinheiro (BA), disse que o partido vem realizando uma série de reuniões para discutir uma agenda de transição, de olho na Presidência da República e no futuro político do País, para assegurar a viabilidade de um governo de esquerda. Segundo ele, questões como reforma tributária, a crise do setor elétrico, um modelo para o Banco Central e uma solução para as medidas provisórias começam a ser discutidas, diante da possibilidade de o PT ser governo a partir de 2003. Walter Pinheiro afirmou que até na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) o partido começa a ter esses cuidados. "Na próxima terça-feira vamos discutir a questão da CPMF nesse novo quadro, e no contexto da reforma tributária", informou. A discussão sobre a CPMF será feita pela bancada do PT na Câmara. Pinheiro salientou, contudo, que o partido ainda não tomou uma decisão sobre os temas macroeconômicos abordados pelo deputado Aloísio Mercadante (SP) em entrevista publicada hoje no jornal Valor. No caso do Banco Central, afirmou, não há um modelo fechado no partido. No caso da proposta de emenda constitucional que restringe a edição de medidas provisórias, explicou que o partido quer restringir o instrumento, mas assegurar o seu uso em casos emergenciais. "Já pedimos ao partido que nos apresente sugestões para setor elétrico. Há uma tendência a buscar preservar, nas mãos do governo, o que ainda não foi privatizado", ressaltou. O líder definiu: "A questão é que o programa real de governo tem que entrar na agenda da oposição a partir de agora".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.