PT precisa de mais R$ 91 milhões para segundo turno

PT vai assumir despesas extras que poderão elevar custos na campanha de R$157 mi para R$191 mi

Malu Delgado, de O Estado de S.Paulo

19 de outubro de 2010 | 15h23

SÃO PAULO - A disputa no segundo turno das eleições presidenciais obrigou o PT a assumir uma despesa extra nos Estados que pode elevar o custo total da campanha de R$ 157 milhões para R$ 191 milhões. No primeiro turno, segundo o tesoureiro da campanha, José de Filippi Júnior, já foram arrecadados cerca de R$ 100 milhões e gastos R$ 95 milhões. O partido agora inicia novos contatos com potenciais doadores para arrecadar os R$ 91 milhões restantes para o segundo turno.

 

"Os gastos totais da campanha devem ficar em R$ 176 milhões para o comitê de Dilma e outros R$ 15 milhões para o de Michel Temer", explicou o tesoureiro.

 

O PT estimava um gasto inicial para o segundo turno de até R$ 8 milhões nos Estados só para a disputa presidencial, mas o valor agora já foi revisto para R$ 25 milhões. É por conta desta diferença, segundo Filippi, que o montante global precisou ser reavaliado.

 

Das doações arrecadadas no primeiro turno, de acordo com o tesoureiro, quase 60% foram utilizadas para gastos com a propaganda eleitoral em TV e rádio e com material de publicidade. No mês de setembro a campanha de Dilma fez um repasse à União de aproximadamente R$ 1 milhão para cobrir gastos com deslocamentos do presidente Lula para eventos da campanha.

 

O investimento maior do comitê financeiro será feito nos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Pernambuco, Bahia, Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso.

 

Segundo o tesoureiro, o PMDB passou a assumir mais atribuições no segundo turno, sobretudo nos Estados onde o partido é mais forte e organizado, como Rio Grande do Sul e Santa Catarina, o que explica a elevação dos custos de campanha.

 

A reestimativa do custo total da campanha de Dilma já foi feita formalmente ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.