PT pode não lançar candidato próprio a presidente

O presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), Ricardo Berzoini, disse hoje, após o encerramento do 3º Congresso Nacional, que aconteceu neste fim de semana em São Paulo, que o partido tem vocação e condições de lançar um candidato próprio à sucessão presidencial, mas que deve conversar com outras forças políticas até 2009 para definir qual será o papel da legenda nas eleições."O PT tem condições de lançar candidato próprio, mas precisa dialogar. Queremos conversar com todos. Esse é um assunto para amadurecer até 2009", disse o dirigente. "Se partirmos do pressuposto que o candidato obrigatoriamente é do PT, imediatamente mandamos uma mensagem que não é boa para construir alianças."Conforme Berzoini, durante o congresso, o partido conseguiu a unidade em torno da resolução que reafirma que o PT tem condições de apresentar um candidato próprio à sucessão presidencial, mas deixou aberto o diálogo até 2009. "Tradicionalmente, o PT apresenta candidato sempre que pode, mas queremos dialogar."Dessa forma, Berzoini alinhou o discurso do partido às declarações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que abriu ontem a possibilidade de o PT vir a apoiar um nome da base aliada, mas de fora do partido.Durante a manhã de hoje, o PT chegou a divulgar uma nota informando que a intenção era ser o "dirigente da condução do processo sucessório presidencial". O texto propunha um "amplo debate interno" para formular o programa do mandato de 2011 a 2014. A partir desse debate, concluía o partido, seria construída "uma candidatura petista capaz de liderar, juntamente com outros partidos, uma ampla aliança partidária e social e vencer as eleições de 2010".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.