PT pede novas investigações ao MP sobre aeroporto em Minas

Partido quer que sejam apuradas eventuais irregularidades na obra; estratégia visa desgastar senador tucano

RICARDO BRITO, Agência Estado

23 de julho de 2014 | 18h17

O PT pediu nesta quarta-feira, 23, ao Ministério Público de Minas Gerais e à Procuradoria da República no Estado que abra um inquérito civil público e um criminal para investigar se houve irregularidades cometidas na construção de um aeroporto no município de Cláudio durante a gestão de Aécio Neves à frente do governo mineiro. É mais uma frente de apuração apresentada pelo PT, que na terça-feira, 22, propôs à Procuradoria-Geral da República (PGR) a abertura de inquéritos sobre o caso.

A obra, iniciada no final da segunda gestão de Aécio como governador, está sendo construída num terreno que pertenceu a um tio-avô do tucano, Múcio Tolentino. O PT tem aproveitado o episódio para tentar desgastar o principal adversário de Dilma Rousseff na disputa ao Palácio do Planalto. Na terça, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também defendeu a apuração do caso.

Assim como o pedido anterior, o partido quer apurar se o aeródromo está operando sem autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Para o PT, a construção e a administração irregular do aeroporto configurariam atos de improbidade administrativa, condutas que desrespeitam o Código Brasileiro da Aeronáutica e crimes de peculato (desvio de dinheiro público), emprego irregular de verbas públicas e prevaricação.

O caso, que veio a público após reportagem publicada no domingo pelo jornal Folha de S. Paulo, já está sendo alvo de investigações da Anac. Em sua defesa, Aécio alega que o MP de Minas, o mesmo para o qual o PT pediu a apuração, já arquivou investigações sobre o aeroporto. Os tucanos também mostraram pareceres dos ex-presidentes do Supremo Tribunal Federal Carlos Ayres Britto e Carlos Velloso favoráveis à transação.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesPTAécio Neves

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.