PT pede investigação de blog que ataca Igreja

O Diretório Estadual do PT fez hoje representações à Justiça Eleitoral e ao Ministério Público - além de registrar boletim de ocorrência na polícia - para que seja investigado o blog "Onda Vermelha - PT +20 Anos no Poder", o qual faz ataques à Igreja Católica em nome do partido. Em uma nota divulgada hoje, o presidente do PT paulista, deputado estadual eleito Edinho Silva, afirma que o blog é falso, não representa a posição do partido e informa que a assessoria jurídica da campanha de Dilma Rousseff (PT) foi acionada para tomar medidas judiciais.

GUSTAVO PORTO, Agência Estado

19 de outubro de 2010 | 20h26

Com o título "A igreja é contra o PT, vamos combatê-la!", a mensagem foi postada ontem no endereço eletrônico http://pt20anos.wordpress.com, e disseminada por meio de e-mails hoje. O blog, que não tem informações sobre o seu autor, defende a intervenção do estado na Igreja Católica e cita uma suposta perda de poder do arcebispo emérito de São Paulo D. Paulo Evaristo Arns sobre outros bispos. "Está claro que D. Paulo já não tem mais a capacidade de liderar sua Igreja, e uma intervenção se mostra cada vez mais necessária", informa.

O blog aponta que "a direita reacionária usa aquela mesma parcela da Igreja Católica que apoiou o golpe de 64 para espalhar boatos sobre as posições do nosso partido e de nossa candidata", numa referência às críticas feitas por alguns católicos a Dilma, por meio de panfletos. "Não iremos nos calar diante de calúnias ditas por padres suspeitos de servir a interesses escusos de nossos adversários", completa o texto.

O texto vai além e defende que a "Igreja é que deve se submeter ao Estado, e não o contrário" e cobra postura pelo "estado laico", ou seja, sem pregar religião. No entanto, o blog conclama uma posição semelhante a adotada pelo presidente venezuelano Hugo Chávez. "Este caminho já foi traçado pelo companheiro Hugo Chávez na Venezuela: depois de sofrer uma campanha sórdida como a que estamos sofrendo agora, decretou a laicidade do Estado, e agora é o governo venezuelano que controla sua própria Igreja", completou.

O texto pede ainda que o comando do partido "dito moderado" seja pressionado para que defenda "os valores que historicamente são bandeiras do PT" e defende a liberdade religiosa, "desde que a fé não seja usada como instrumento de dominação da vontade do povo por parte do Vaticano, como vemos acontecer desde as Cruzadas". Por fim, o texto pede que "lideranças progressistas, como Leonardo Boff, ganhem espaço na hierarquia católica" e indaga: "Do que a Igreja Católica tem tanto medo? Será da nossa proposta de incluir padres na CPI da Pedofilia?".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.