PT pede abertura de inquérito contra delegados da Lava Jato

PT pede abertura de inquérito contra delegados da Lava Jato

Partido encaminhou pedido à Procuradoria-Geral da República nesta quinta-feira para apurar participação de policiais que atacaram a sigla e elogiaram o candidato tucano na internet

Ricardo Galhardo, O Estado de S. Paulo

27 de novembro de 2014 | 21h17

São Paulo - O PT solicitou à Procuradoria-Geral da República (PGR) abertura de inquérito para apurar a participação dos delegados da Polícia Federal que usaram redes sociais durante a campanha eleitoral para elogiar o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e atacar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente reeleita Dilma Rousseff no vazamento de dados sigilosos da Operação Lava Jato. 

Dias atrás, o ministro Teori Zavascki, responsável pelos inquéritos da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, arquivou um primeiro pedido de inquérito sobre os vazamentos feito pelo PT, com foco nos trechos do depoimento do doleiro Alberto Youssef publicados pela revista Veja às vésperas do segundo turno eleitoral. Nesses trechos, o doleiro dizia que Dilma e Lula sabiam da corrupção na Petrobrás.

Agora o PT reiterou o pedido alegando que as informações sobre as postagens feitos pelos delegados da PF nas redes sociais, reveladas pelo Estado, são um novo indício de vazamento ilegal de informações da Lava Jato.

"O jornal O Estado de S. Paulo publicou matéria no dia 13 de novembro na qual relata que delegados federais usaram as redes sociais durante o período de campanha eleitoral para elogiar o candidato do PSDB, inclusive com a disseminação de propaganda eleitoral que reproduzia notícias com o conteúdo das delações premiadas em desfavor do partido e sua candidata à reeleição", diz o pedido encaminhado segunda-feira ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot. 

Em manifestações feitas em perfis fechados no Facebook, delegados da Superintendência da PF em Curitiba, onde estão concentradas as investigações da Lava jato, compartilharam propaganda de Aécio com conteúdo da delação de Youssef, segundo a qual Lula e Dilma sabiam do esquema de desvios na Petrobrás. 

No dia 18 de outubro, o delegado Igor Romário de Paula, da Delegacia Regional de Combate ao Crime Organizado, publicou uma montagem com fotos do então candidato tucano acompanhado de diversas mulheres com o comentário "esse é o cara!!!".

A Superintendência da PF em Curitiba só vai se pronunciar sobre o assunto quando for comunicada oficialmente.

Tudo o que sabemos sobre:
Operação Lava JatoRicardo Galhardo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.