PT participa de oposição a candidato de ACM em Salvador

O PT da Bahia agiu rápido para marcar sua oposição incondicional ao grupo do senador Antonio Carlos Magalhães. Menos de 30 horas depois de oficializada a derrota do partido na briga pela prefeitura de Salvador, os petistas reuniram a executiva estadual e o diretório municipal e fecharam em favor do apoio formal ao candidato do PDT, João Henrique Carneiro, contra o senador pefelista César Borges, aliado de ACM. Como o pedetista também já obteve a adesão do PSB, PMDB, PPS, PTB e PCB, está criada a frente da oposição contra Borges.O anúncio do apoio petista foi feito com pompa e em clima de campanha, com a presença de cerca de 150 militantes e dirigentes do PT, PDT e também do PSDB, que indicou o vice na chapa de João Henrique."Consideramos que é importante a vitória da oposição em Salvador e nossa posição é de engajamento na campanha, sem nenhum condicionante", discursou o petista derrotado no primeiro turno, deputado Nelson Pelegrino, para a alegria dos militantes que empunhavam bandeiras e vestiam camisetas com o número 12 do candidato do PDT. "O 13 agora é 12 para vencer o 25 de César Borges", brincou o deputado Walter Pinheiro (PT-BA) ao justificar a pressa da definição: "Em política não existe vácuo".Emocionado com a firmeza de Pelegrino e o calor da recepção no comitê da campanha petista, João Henrique foi às lágrimas. "Eu queria dizer que, se fosse o contrário e nós tivéssemos ficado fora do segundo turno, esta reunião também estaria acontecendo agora", disse o pedetista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.