PT Osasco quer acelerar campanha para popularizar substituto de João Paulo

Líder do partido diz que objetivo é tornar Jorge Lapas conhecido no município

Felipe Frazão, de O Estado de S. Paulo

31 de agosto de 2012 | 21h17

O PT pretende acelerar as agendas de rua e produzir rapidamente material de campanha para Jorge Lapas, candidato a prefeito de Osasco que substituiu o deputado federal João Paulo Cunha, condenado por corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro no julgamento do mensalão. Lapas compunha chapa pura com João Paulo como vice - posto que agora será ocupado pelo vereador Valmir Prascidelli.

"A campanha vai ganhar uma velocidade maior, muito maior. Temos 36 dias para levar o nome do Jorge para a cidade. Mas as pessoas já sabem, foi veiculado na mídia", disse o vereador e presidente do diretório municipal do PT, João Gois. "Estamos providenciando material agora para fazer a troca de material. Eles dois já estão na rua, normalmente."

Lapas disputa sua primeira eleição, o que preocupa a cúpula da campanha por causa do baixo conhecimento do eleitorado. Um dos argumentos para que João Paulo renunciasse logo era que o partido não podia perder tempo para tornar o nome de Lapas popular.

Nesta sexta-feira, 31, o PT tratava de registrar o CNPJ da campanha na Justiça Eleitoral para produzir material impresso, de acordo com Gois. Militantes já retiravam adesivos de João Paulo dos carros e kombis da campanha.

O partido já reservou o domínio http://www.jorgelapasprefeito13.com.br/em substituição ao site de campanha de João Paulo, www.joaopauloprefeito13.com.br - que já foi retirado do ar.

João Paulo saiu às ruas nesta sexta, mas não quis comentar o julgamento. Para Gois, ele ainda pode ajudar na campanha.

"João Paulo sempre foi um militante, independente do cargo que ocupou. Aquilo que tiver necessidade do João Paulo ele vai estar pronto para ajudar. Se for convocado ele vai estar junto para assistir. Ele é uma pessoa muito especial, um grande líder e sabe como ajudar, se deve entrar ou não na campanha", afirma o presidente.

João Paulo retirou a candidatura a prefeito em prol de Lapas na quinta-feira, um dia depois de ter a condenação confirmada pelo presidente do Supremo Tribunal Federal por nove votos a dois. Ele discursou rapidamente e disse que "estava difícil tocar a campanha depois do julgamento" e que saía "para o bem do partido", relatou Gois.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.