PT oficializa hoje candidatura de Dilma

Preparada para ser um megaespetáculo, a convenção do PT que vai sacramentar hoje a candidatura de Dilma Rousseff à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva mostrará uma petista com discurso mais afiado. Ela vai fustigar o adversário do PSDB, José Serra, prometer erradicar a pobreza até 2014 e adotar uma "governança moderna".

AE, Agência Estado

13 de junho de 2010 | 09h58

Pouco antes de discursar, na tarde de ontem, na convenção do PMDB que sacramentou Michel Temer (SP) como vice de sua chapa, a ex-ministra da Casa Civil recorreu à ironia para comentar a dificuldade de Serra em fazer uma dobradinha. "Antigamente, os candidatos à Presidência do Brasil tinham vice", disse ela, ao desembarcar no aeroporto de Brasília.

Serra oficializou a candidatura sem o vice. O PT avalia que a indefinição mostra problemas do PSDB para ampliar votos. O discurso do tucano, no diagnóstico do comando petista, refletiu "uma guinada à direita" em que ele se assumiu como adversário de Lula.

Com maquiagem, cabelo e roupa impecáveis, a Dilma que se apresentará hoje como herdeira de Lula será diferente da pré-candidata aclamada pelo PT em seu 4.º Congresso, realizado em fevereiro. Em um salão decorado com vários banners no teto, sob o slogan "Dilma, para o Brasil seguir mudando", a candidata petista pregará uma era de prosperidade.

De olho no voto feminino, fatia do eleitorado em que a ex-ministra precisa ampliar os índices de intenção de voto, o PT organizou um ato político colorido para ser uma "celebração à mulher". No material de campanha estão estampados os dizeres "Pátria Mulher, Pátria Mãe". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.