PT: nepotismo deve ser tratado "caso a caso"

Deputados e senadores do PT defenderam a punição de prefeitos e parlamentares que contrataram parentes, mas com a ressalva de que a prática de nepotismo deve ser analisada "caso a caso". "Na minha avaliação, o prefeito de Recife, João Paulo Lima e Silva, não praticou nepotismo quando nomeou sua mulher para um cargo comissionado, porque ela já era funcionária pública", disse o senador José Eduardo Dutra (PT-SE). Segundo Dutra, o prefeito, que já afastou a mulher por conta da repercussão do fato, apenas a indicou para um cargo dentro de uma área em que ela já trabalhava. "A situação de João Paulo não deveria ser levada para a comissão de ética do PT", disse o senador. Para o deputado Milton Temer (PT-RJ), o nepotismo deve ser punido, mas sem "generalizações". O senador Lauro Campos (PT-DF) defendeu que os casos de nepotismo sejam levados ao conselho de ética. "Mas as penas não devem ser severas", avalia. Para o deputado José Genoíno (PT-SP), o comando nacional está, inicialmente, agindo para "constranger politicamente" os petistas que contrataram parentes. "Ainda não estamos falando em punições", declarou Genoíno.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.