PT não fará restrição para alianças, diz Berzoini

O presidente do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP), disse neste sábado que "o partido não se limitará a qualquer restrição" para fazer as alianças partidárias visando à reeleição do presidente Lula. Segundo ele, a única "exceção é PPS devido ao seu atual comportamento".A declaração foi feita logo após o 13º Encontro Nacional aprovar a autorização para que o Diretório Nacional decida caso a caso as alianças "com partidos da base do governo, bem como apreciar recursos sobre alianças estaduais".O presidente do PT disse que as negociações definirão se as alianças serão mais ou menos amplas. "Estamos conversando com todos, como os partidos tradicionais próximos ao PT, como o PCdoB e PSB, com os quais as negociações estão mais avançadas. Acreditamos que tanto para a aliança nacional como as dos Estados é necessário analisar a conjuntura de momento e a necessidade de ampliar".A partido aprovou também o nome de Berzoini como coordenador-geral da campanha para as eleições deste ano. Segundo a emenda aprovada, "de imediato" Berzoini será encarregado de realizar "uma proposta de coordenação, dentro do espírito de unidade partidária, de construção de alianças partidárias e sociais".O PT diz ainda que "apóia a decisão do presidente de tomar a decisão a respeito da candidatura no momento apropriado, mas inicia a preparação da campanha eleitoral". De acordo com a nota aprovada no encontro "construir a vitória do nosso projeto político no Brasil é fortalecer as transformações democráticas e populares que a América Latina vivencia e estabelecer novos desafios para um Brasil mais justo, solidário e democrático".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.