PT nacional desiste de Benedita para 2002

O comando nacional do PT já sinaliza que desistiu de fazer a vice-governadora do Rio, Benedita da Silva (PT), assumir em 2002 a vaga do governador Anthony Garotinho (PSB) e disputar o governo no cargo. O presidente nacional do partido, deputado José Dirceu (SP), avisou reservadamente à esquerda petista que sua corrente, a Articulação, não vê problemas em apoiar a pré-candidatura do deputado Milton Temer (RJ). Em troca, a esquerda poderá apoiar, em segundo turno, a candidatura de Gilberto Palmares, presidente do PT do Rio, à reeleição, em setembro próximo. Dirceu e o próprio presidente de honra do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, têm mostrado internamente desagrado com a recusa de Benedita em assumir o governo e a candidatura à chefia do Executivo. No Diretório Nacional, em março, a vice avisou que não quer concorrer ao cargo, por avaliar que não venceria. "Gravem o que estou dizendo: não vou ser candidata a governadora", disse à platéia. No PT nacional, suspeita-se que ela tenha um acordo com Garotinho para não assumir o governo quando ele sair para tentar a Presidência. Em troca, o governador não lançaria candidatos fortes a senador, vaga que Benedita quer.O próprio Temer reconhece que sua pré-candidatura mudaria de qualidade se Benedita assumisse o cargo, na hipótese de Garotinho realmente deixar o Palácio Guanabara para tentar a Presidência. "A prioridade é o PT assumir o governo", declarou o pré-candidato. "Se isso acontecer, Benedita passa a ter precedência na candidatura ao governo. Eu diria que estamos no melhor dos mundos: temos candidaturas para todas as hipóteses." Temer se recusou a comentar, contudo, a possível aprovação de Dirceu à sua candidatura.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.