PT mostra capacidade de unidade partidária, diz Berzoini

Na avaliação do presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), Ricardo Berzoini, o resultado mais importante do 3º Congresso Nacional do PT, que se encerrou nesta tarde em São Paulo, foi a demonstração de "capacidade das diferentes posições (da sigla) de dialogar com vistas à construção da unidade partidária em todos os sentidos"."O PT conseguiu chegar a bons acordos no sentido de aperfeiçoar o seu funcionamento, assegurando que o convívio interno entre as diversas forças políticas seja capaz de garantir a unidade partidária", disse o dirigente, após o encerramento do congresso.Conforme Berzoini, o partido também atualizou sua visão "de como construir o socialismo democrático" e fez um balanço do estágio atual do governo Lula. "O PT atualizou sua agenda programática, sobretudo em relação a assuntos muito importantes como a reforma tributária", acrescentou. "O que nós conseguimos aqui não é pouca coisa para um partido tão heterogêneo quanto o PT e conseguimos isso através de um diálogo interno de muito respeito às posições de legenda", disse.O presidente do PT afirmou, ainda, que a eleição de novos dirigentes para o partido, prevista para dezembro, será importante porque deve promover a "oxigenação" da sigla, porque cada eleição traz novos membros à direção.Ao seu questionado sobre a possibilidade de a criação de um código de ética do partido reabrir as discussões em torno dos parlamentares envolvidos no escândalo do mensalão, Berzoini afirmou que nenhuma corrente interna propôs a avaliação de comportamentos individuais como pauta do congresso, mas sim a discussão de idéias. "É fundamental que nenhum tipo de processo seja encerrado. Nesse caso, a reflexão é permanente e devemos continuar essa reflexão, mas com muita maturidade, para evitar que determinadas armadilhas se tornem fatos negativos para o PT", disse.Conforme Berzoini, a Comissão de Ética do partido tem condições de evitar que o código seja utilizado para perseguir forças políticas ou pessoais. A criação de um código de ética foi defendida ontem pelo ministro da Justiça, Tarso Genro, e aprovada por unanimidade pelo Congresso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.