PT mineiro reafirma oposição a Aécio e defende candidatura

No 3º congresso estadual do partido, petistas decidiram apresentar próprio candidato à sucessão de Lula

Eduardo Kattah, do Estadão,

30 de julho de 2007 | 13h32

No encerramento do 3º Congresso Estadual, o PT mineiro aprovou por unanimidade resolução em que reafirma oposição ao governador Aécio Neves (PSDB) e defende a candidatura própria ao Palácio da Liberdade e à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.   Os petistas também estão proibidos de participar do governo Aécio. As resoluções aprovadas serão encaminhadas à direção nacional e discutidas no Congresso Nacional do PT, que começa no dia 31 de agosto e vai até 2 de setembro, em São Paulo.   Mudança de estatuto   Depois de mais de um ano discutindo a possibilidade de encurtar o mandato de sua atual direção, o PT deverá de fato alterar o seu estatuto e agendar novas eleições internas ainda este ano.   Apesar de reconhecer que ainda existem algumas divergências em relação ao assunto, o presidente do partido, deputado Ricardo Berzoini (SP), afirma que as discussões ocorridas nos últimos meses demonstram que as principais correntes petistas devem endossar a proposta."Há uma tendência de a maioria querer fazer a eleição ainda este ano. Até porque os que defendem essa posição entendem que isso é melhor para pacificar o partido", afirma o presidente da legenda, acrescentando que a nova eleição deverá ocorrer no final de novembro ou no início de dezembro.   De acordo com Berzoini, ainda existem algumas "polêmicas" em relação ao assunto, mas a mudança tende a ser ratificada durante o 3º Congresso Nacional do PT.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.