André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

PT marca novo lançamento da pré-candidatura de Lula, diz deputado

Após visitar o ex-presidente em Curitiba, deputado federal Wadih Damous (RJ) afirmou que partido vai lançar Lula como pré-candidato em 27 de maio

Marcelo Osakabe e Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

21 Maio 2018 | 18h46

SÃO PAULO - O PT fará mais um ato de lançamento da pré-candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República no próximo dia 27. Desta vez, o lançamento deve ocorrer em todas as cidades onde a legenda está estruturada, de acordo com o deputado federal Wadih Damous (PT-RJ), que se integrou à defesa de Lula, condenado e preso em Curitiba pela Operação Lava Jato desde 7 de abril, e visitou o petista nesta segunda-feira, 21. 

Segundo Damous, o partido apresentará alguns eixos do programa de governo de Lula e reforçará que não há "plano B" para o registro da candidatura do petista como candidato a presidente, mesmo com o petista preso e condenado em segunda instância.

+ Manifestos defendem liberdade a Lula e sua candidatura no Brasil

Recurso 

Com um pedido de liminar concedido pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), Damous pode se apresentar agora como advogado de Lula, ao lado de Cristiano Zanin Martins, Sepúlveda Pertence e Luiz Eduardo Greenhalgh.

+ Lula afirma ser vítima de 'farsa judiciária' e pede 'eleição democrática' em jornal francês

Segundo ele, a estratégia para reverter a condenação de Lula se concentra nos recursos especial, apresentado ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), e extraordinário, no Supremo Tribunal Federal (STF). O parlamentar e advogado reclamam do que consideram uma "demora" na tramitação dos recursos. "Para condenar foi rapidinho, e para tramitar os recursos é lentidão".

Sobre a visita, Damous disse que o ex-presidente está bem, que lê muito, mas que está "indignado" com sua situação judicial. Ele disse ainda que Lula descarta a ideia de um indulto porque se julga inocente e quer ser absolvido pelo Judiciário. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.