PT ironiza instituto de pesquisa após queda de Wagner

A queda de dez pontos porcentuais na diferença entre o governador e candidato à reeleição Jaques Wagner (PT) e o ex-governador Paulo Souto (DEM), apontada pela pesquisa Datafolha divulgada na noite à ontem, fez o presidente do PT na Bahia, Jonas Paulo, ironizar o instituto. "Como sempre, o Datafalha", declarou. Para o dirigente, a eleição no Estado deve se encerrar no primeiro turno.

TIAGO DÉCIMO, Agência Estado

24 de setembro de 2010 | 17h23

Na oposição, porém, o resultado da pesquisa reacendeu a esperança de haver segundo turno. "Estamos confiantes na resposta positiva que o povo da Bahia vai nos dar em 3 de outubro", diz Souto. "Temos visto a insatisfação popular com o desempenho do governo."

Segundo o Datafolha, Wagner caiu de 53% para 48% das intenções de voto em menos de uma semana, mas ainda venceria a eleição em primeiro turno. Souto teve crescimento de 16% para 21% no período. O candidato do PMDB ao governo, o ex-ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, teve 1% a mais de citações, passando de 11% para 12%. A margem de erro é de três pontos para mais ou para menos, segundo o instituto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.