PT gaúcho desqualifica CPI em relatório paralelo

A bancada governista na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul denunciou a "ópera bufa" armada pela oposição e divulgou um relatório paralelo ao da CPI da Segurança Pública, que também será enviado ao Ministério Público (MP). O texto de 106 páginas tenta desqualificar as teses da oposição sobre o envolvimento do governo Olívio Dutra (PT) com o jogo do bicho e acusa a CPI de se desviar dos objetos iniciais de investigação e fazer vista grossa com as denúncias sobre a chamada "banda podre" da polícia."Esses srs. têm muito o que explicar sobre suas relações com a banda podre e pessoas ligadas a bicheiros", acusou o deputado petista Ronaldo Zülke, referindo-se às doações de R$ 100 ao relator Vieira da Cunha (PDT) por um advogado de bicheiro, o delegado Nelson Soares de Oliveira, e de um suposto banqueiro do bicho citado em inquérito policial, José Antônio Andreola Mônaco.O pedetista defendeu-se da acusação no relatório, reconhecendo ter recebido as doações, mas alegando que foram registradas nas prestaçõs de contas e aprovadas pela Justiça Eleitoral. "A origem dessas contribuições são jantares que promovi durante a campanha eleitoral", afirmou Cunha. Segundo ele, Mônaco é vizinho de prédio dele há 13 anos.O relatório paralelo do PT pede ao MP gaúcho que investigue a conversa gravada em que o presidente do Clube de Seguros da Cidadania, Diógenes de Oliveira, pede ao ex-chefe de Polícia Luiz Fernando Tubino que não reprima o jogo do bicho, em nome do governador.Os líderes petistas sugerem que os promotores "produzam, se for o caso, as responsabilizações de lei" e dizem que o caso também é analisado por uma comissão de ética do partido, que ouvirá Oliveira sexta-feira.O líder do governo, Ivar Pavan (PT), e vários parlamentares petistas também defendem a devolução da sede que usa como empréstimo do Clube de Seguros da Cidadania, entidade posta sob suspeita pela CPI.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.