PT fica fora do primeiro programa na TV em Porto Alegre

A coligação "Frente Popular" (PT-PRB-PTC-PSL) e o PHS ficaram de fora do primeiro programa da campanha eleitoral na televisão, em Porto Alegre, perdendo, ao todo, quase cinco minutos de divulgação no horário da tarde. A explicação, para os dois casos, foi a entrega fora do horário limite estabelecido pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do DVD com o conteúdo da propaganda à emissora geradora. A assessoria do PT informou que o atraso ocorreu por um problema técnico no material. O PHS alegou ter enfrentado dificuldades no tráfego. Os dois ausentes da tarde participaram do programa no horário nobre. Os roteiros foram semelhantes, com candidatos a vereador falando e, ao fundo, fotos dos candidatos a prefeito, Maria do Rosário, pela Frente Popular, e Paulo Rogowski, pelo PHS. As lideranças nacionais não apareceram no programa do PT. Outros partidos chamaram suas estrelas para apresentar seus candidatos à Câmara Municipal. Os senadores Pedro Simon (PMDB) e Sérgio Zambiasi (PTB) pediram votos para seus partidos e citaram qualidades do prefeito José Fogaça (PMDB), que concorre à reeleição.A ex-senadora Heloísa Helena apareceu ao lado do candidato Pedro Ruas (PSOL), anunciando que "assim como denunciou irregularidades nos governos federal e estadual, o partido precisa de uma vaga na Câmara para fiscalizar a prefeitura de Porto Alegre". Os deputados federais Beto Albuquerque (PSB) e Vieira da Cunha (PDT) pediram votos para os candidatos de seus partidos.Dos 504 pretendentes às 36 vagas da Câmara de Porto Alegre, 94 apareceram nos primeiros 30 minutos de campanha na televisão. A maioria limitou-se a dizer seu nome e a citar sua principal proposta, quase sempre direcionada a áreas como educação, saúde e transporte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.