PT fez empréstimo para pagar posse de Lula, diz Delúbio

Em depoimento, ex-tesoureiro afirmou que dinheiro foi usado para quitar déficit causado por despesas da festa

Clarissa Oliveira, de O Estado de S.Paulo,

23 de janeiro de 2008 | 18h10

O ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares reafirmou, na tarde desta quarta-feira, 23, a versão de que o partido contraiu um empréstimo junto ao BMG, no valor de R$ 2,4 milhões, com o objetivo de quitar um déficit causado por despesas relacionadas à festa da posse do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), no período da transição do governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB) para a gestão petista, em 2003.   Delúbio iniciou, pouco antes das 17 horas, depoimento no Fórum Criminal da Justiça Federal em São Paulo, no inquérito que trata do escândalo do mensalão. O ex-tesoureiro do PT depõe a portas fechadas, mas as primeiras informações foram repassadas por advogados que acompanham os procedimentos.   Delúbio já havia apresentado, anteriormente, a decisão referente à festa da posse de Lula em depoimento à Justiça Federal no início do mês. O depoimento do ex-tesoureiro do PT começou quase uma hora após a conclusão da exposição realizada pelo ex-diretor da corretora Bonus-Banval Breno Fischberg.

Mais conteúdo sobre:
PTmensalãoDelúbio Soares

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.