PT fecha acordo com tucanos na Assembléia de São Paulo

O PT fechou acordo para apoiar o candidato do PSDB à presidência da Assembléia Legislativa de São Paulo, deputado Vaz de Lima. Após reunião realizada na manhã desta quarta-feira, 28, os dois partidos divulgaram uma carta para anunciar o compromisso. Além do PT, o parlamentar do PSDB conta também com o apoio do PFL, PTB, PPS e PV.A aliança foi selada sem que tenha sido definido quem fica com a quarta secretaria, a qual o PT tem direito por ter 20 deputados estaduais na próxima legislatura, conforme o critério da proporcionalidade. O PSDB é dono da maior bancada na Assembléia com 24 deputados.A eleição da Mesa Diretora paulista está marcada para 15 de março. Com a segunda maior bancada, a adesão dos petistas será decisiva para a vitória de Vaz de Lima, que disputará o cargo com o deputado Antônio Salim Curiati (PP), o parlamentar mais antigo da Casa em seu nono mandato. Composição da MesaO líder da bancada petista na Casa, Ênio Tatto informou que os tucanos aceitaram os termos propostos pelo PT para a presidência da nova legislatura, que ficará no posto pelos próximos dois anos. Dentre esses pontos, os petistas incluíram a autonomia da Casa com relação ao governo do Estado, levando em conta que o novo governador, José Serra, é do mesmo partido de Vaz de Lima.Agora, os partidos irão discutir como vai ficar a composição da Mesa Diretora e das comissões da Casa. Pelo acordo firmado, essas composições também deverão respeitar o princípio da proporcionalidade. Questionados se o apoio oficializado, hoje, na Assembléia, ocorreu em função de um eventual acordo firmado pela ala do PSDB comandada pelos governadores José Serra e Aécio Neves em prol da candidatura do atual presidente da Câmara dos Deputados, Arlindo Chinaglia (PT-SDP), os deputados estaduais tucanos e petistas desconversam e insistem que o acordo firmado em São Paulo tem como ponto principal o respeito à proporcionalidade.Para conquistar a presidência, o vencedor precisa ter o voto de 48 dos 94 parlamentares. Na eleição passada, Rodrigo Garcia (PFL) venceu o adversário por uma diferença de apenas 2 votos - placar de 48 a 46.(Com Silvia Amorim e Elizabeth Lopes)Texto ampliado às 17 horas

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.