PT faz encontro para discutir campanha de 2002

Consciente de que o PT "é um partido que não pode errar em 2002", como observou o presidente em exercício da legenda, José Genoino, as principais lideranças petistas estão reunidas hoje em São Paulo para "afinar" e "entrosar" o discurso. O presidente de honra e presidenciável do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, assim como os governadores Olívio Dutra (RS) e Zeca do PT (MS), participam de encontro para discutir o cenário político e principalmente definir estratégias para que os governos petistas não sirvam de vidraça na campanha eleitoral do ano que vem.Segundo Genoino, o partido está consciente de que é preciso se preparar para enfrentar seus adversários. "Temos consciência de que nossos governadores estão no foco da oposição dos nossos adversários e nós vamos nos preparar para enfrentá-los", disse. De acordo com ele, a partir de 5 de outubro, quando termina o prazo de filiação do partido, as lideranças petistas começam a articular as alianças com vistas em 2002. "Em São Paulo, queremos conversar com PSB e PDT, independente da aliança nacional", afirmou Genoino.Em relação ao cenário nacional, ele afirma que o PT vai conversar com o PSB, PDT, PPS e com setores do PMDB.Questionado se o PT aceitaria aliar-se a um partido da base governista de apoio ao presidente Fernando Henrique Cardoso, Genoino respondeu: "O PT é oposição e quer disputar as eleições com um programa alternativo. Nós não vamos fazer alianças que desfigurem o programa do PT. Aliás, essa é a experiência do fracasso do governo FHC nesses quase oito anos".A exemplo do encontro de hoje com governadores petistas, a direção da legenda já definiu que fará reuniões semelhantes com os prefeitos, deputados e senadores do partido. O presidente em exercício do PT afirmou que o partido não está preocupado com as críticas que tem recebido em São Paulo por conta da implantação do IPTU progressivo pela prefeita Marta Suplicy. "O IPTU progressivo não nos preocupa. Nós sempre defendemos sua implantação. A progressividade é um princípio em qualquer país civilizado, já que quem tem mais paga mais e quem tem menos paga menos", disse, acrescentando que "o sistema tributário no Brasil é regressivo, perverso e concentrador de renda".Além de Lula, Genoino, Olívio Dutra e Zeca do PT, também participam do encontro o ex-governador do Distrito Federal, Cristovam Buarque e o deputado federal Jorge Bittar (RJ). O governador do Acre, Jorge Viana, está retornando de viagem aos Estados Unidos e deverá participar das discussões apenas no período da tarde. O deputado federal José Dirceu, reeleito ontem presidente nacional do PT, não participa do encontro por estar em repouso por ordens médicas. A reunião acontece no Hotel Best Western Porto do Sol, na zona sul de São Paulo, e é fechada para a imprensa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.