PT fará seminário sobre democratização da comunicação

Dezessete dias depois de a presidente Dilma Rousseff dizer, em Nova York, que conta com a "positiva ação vigilante da imprensa brasileira, não submetida a qualquer constrangimento governamental", a direção do PT anunciou que promoverá um seminário na última semana de novembro, em São Paulo, para tratar da democratização dos meios de comunicação. O partido de Dilma nega que defenda o controle da mídia, mas age para pressionar o governo a enviar ao Congresso o projeto de lei que trata do marco regulatório do setor.

VERA ROSA, Agência Estado

07 de outubro de 2011 | 08h03

"Queremos ter sintonia com o governo, mas o nosso foco é a sociedade", afirmou o deputado André Vargas (PR), secretário de Comunicação do PT. Discutido hoje na reunião da Executiva Nacional do PT, o assunto é tratado como prioridade na seara petista, embora o governo esteja preocupado em esclarecer que "ninguém vai bisbilhotar a mídia", como disse o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo.

O governo ainda faz a revisão do projeto que enviará ao Congresso para estabelecer o marco regulatório da comunicação eletrônica. O texto tem passado pelo crivo de consultas públicas e a ideia é desbastar pontos polêmicos. Para o Palácio do Planalto, esse é um tema muito sensível, que, se tratado de forma atabalhoada, pode criar ruído com a classe média. Não foi à toa que Dilma destacou a "ação vigilante" da imprensa ao participar de um encontro sobre transparência, na véspera da abertura da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU).

"O processo de consulta pública do governo (sobre o marco regulatório da comunicação) deve ser divulgado no final de novembro e começo de dezembro. É nesse contexto que vamos organizar um seminário em São Paulo com todas as entidades, organismos e parlamentares interessados na democratização dos meios de comunicação", comentou o presidente do PT, deputado Rui Falcão. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
PTcomunicaçãoprévia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.