PT fará campanha por renúncia de Jader

O Partido dos Trabalhadores irá buscar "por todos os meios políticos e constitucionais? a renúncia do presidente do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA). O anúncio foi feito pelo presidente nacional do partido, deputado José Dirceu. Segundo resolução assinada por ele e pelo líder da bancada no Câmara dos Deputados, Walter Pinheiro, após a reunião da Executiva Nacional do partido, "não há mais nenhuma condição ética e política para o senador Jader Barbalho continuar presidindo o Senado da República e, portanto, o Congresso Nacional. Todo o País tem conhecimento das graves denúncias - apoiada em indícios e provas - contra o senador". A comissão executiva do partido esteve reunida durante 8 horas, hoje, no Hotel Braston, em São Paulo. A bancada do PT irá buscar a instauração de uma CPI mista da Corrupção, ou da Sudam, até quarta-feira. Em nota oficial, a comissão decidiu também que irá "repudiar as tentativas de envolver parlamentares do PT nas fraudes ocorridas no Congresso e manifestar sua solidariedade aos senadores Heloísa Helena e José Eduardo Dutra, cujas trajetórias e condutas no episódios são irrepreensíveis". Segundo José Dirceu, o partido não tem dúvidas de que a senadora votou pela cassação do senador Luiz Estevão. Ele disse que mesmo que a suposta lista com os votos dos senadores seja apresentada, a posição do partido continuará a mesma. "A lista já não tem valor nenhum, depois de tudo que aconteceu ela pode muito bem ser falsa. A palavra de Heloísa Helena é que vale", disse. José Dirceu negou que tenha sido discutida durante a reunião a candidatura do presidente de honra do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, à Presidência da República. Segundo ele, o partido considera por enquanto apenas o senador Eduardo Suplicy para a disputa das prévias eleitorais a serem realizadas no último trimestre deste ano, ou no primeiro de 2002.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.