PT estuda retaliação contra vice-procuradora eleitoral

O PT estuda possibilidade de entrar com representação no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) contra a vice-procuradora-geral eleitoral, Sandra Cureau. Para o partido, ela age com excessivo rigor ao pedir investigações contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sob acusação de abuso de poder político em favor da candidatura de Dilma Rousseff.

AE, Agência Estado

19 Julho 2010 | 08h03

O presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra, confirmou que encomendou um estudo aos advogados da legenda para saber se vale a pena apresentar ou não a representação contra a procuradora, pedindo algum tipo de sanção contra ela.

Independentemente dessa ação, Dutra diz que, na sua avaliação, Sandra Cureau está "extrapolando as suas funções". O dirigente petista afirma que, para fazer essa crítica, baseia-se "no conjunto da obra" da procuradora - que estaria dando um tratamento mais rigoroso aos aliados da campanha petista do que à campanha da oposição. "Não tenho dúvidas de que ela está exagerando e extrapolando", diz Dutra.

Defesa

A vice-procuradora-geral eleitoral tem dito a interlocutores que "está fazendo" o seu trabalho e que "muitas das acusações contra os candidatos chegam a ela por outros partidos e até por cidadãos comuns". Na semana passada, ela propôs ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) representações contra o presidenciável José Serra e 3 diretórios tucanos - BA, RS e SP. Serra e o diretório gaúcho são acusados de desvirtuar a propaganda partidária nas inserções de 16 e 21 de junho. Ela pede a condenação no grau máximo previsto na lei: R$ 25 mil. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.